Lidando com a Disfunção Erétil após o Câncer de Próstata

Lidando com a Disfunção Erétil após o Câncer de Próstata

Inicialmente, muitos homens que recebem o diagnóstico de câncer de próstata têm alguma disfunção erétil durante os primeiros meses após o tratamento. A razão para isso é simples: toda região que controla o aspecto físico de uma ereção é incrivelmente delicada, e qualquer traumatismo nesta região provocará alterações.

No entanto, é importante saber que após um ano do término do tratamento, quase todos os homens apresentam melhora substancial. Atualmente, aproximadamente de 40 a 50% dos homens que realizam uma prostatectomia com preservação dos nervos, retomam à função sexual como antes do diagnóstico após dois anos, e de 30 a 60% dos pacientes retomam antes mesmo desse tempo. Estas taxas variam muito com a extensão da doença antes da cirurgia e também de paciente para paciente.

Aproximadamente 25 a 50% dos homens que fazem braquiterapia terão disfunção erétil em comparação com quase 50% dos homens que recebem radiação externa. Após dois a três anos, poucos homens terão melhorias e, ocasionalmente, estes números pioram com o tempo, uma vez que a radiação tem efeitos colaterais tardios.

Além disso, os homens com outras doenças ou distúrbios que afetam sua capacidade de manter uma ereção, como diabetes ou problemas vasculares, têm mais dificuldade para voltar à sua função pré-tratamento.

Gerenciando a Disfunção Erétil

Quando um homem está sexualmente excitado, os nervos eretores que percorrem os lados do pênis estimulam os músculos para relaxar, o que permite que o sangue entre rapidamente. Ao mesmo tempo, pequenas válvulas localizadas na base do pênis se fecham, impedindo que o sangue circule de volta para sair do pênis, de modo que permaneça rígido.

Medicamentos

Os medicamentos orais para a disfunção relaxam os músculos do pênis, o que permite que o sangue flua rapidamente para dentro. Em média, as drogas requerem cerca de uma hora para começar a atuar. Aproximadamente 75% dos homens que realizam a prostatectomia radical com preservação dos nervos ou as formas mais precisas da radioterapia, conseguem ereções após a administração dos medicamentos.

Além dos medicamentos orais, existem vários tratamentos alternativos que podem ser úteis para homens com disfunção erétil.

Dispositivos Mecânicos

Para aqueles homens que não possam ou não queiram realizar tratamento medicamentoso para ajudar a melhorar a função erétil, existem outras opções, como o dispositivo de constrição a vácuo ou bomba a vácuo.

Esse dispositivo cria uma ereção mecanicamente forçada e é considerada a maneira mais simples, eficaz e sem medicamentos, de produzir uma ereção com qualidade. Cerca de 80% dos homens consideram útil o uso do dispositivo, uma vez que as ereções obtidas são de boa qualidade e duram mais tempo do que as naturais. Normalmente, elas não desaparecem após o orgasmo. Uma vez aprendida a técnica, o homem fica seguro de ter ereções consistentes.

Leia também: Aumento peniano métodos

Opções Cirúrgicas

Outra opção para o tratamento da disfunção é a inserção cirúrgica de um implante peniano, que implica na substituição do mecanismo de ereção natural do corpo por um sistema de ereção artificial.

Converse com seu médico sobre a indicação do implante para o seu caso procurando esclarecer detalhes básicos do procedimento, como irreversibilidade da cirurgia, tipos de próteses disponíveis bem como suas vantagens e desvantagens.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *